Tipos de laser na Ginecologia - ABCGIN Tipos de laser na Ginecologia - ABCGIN

Pesquisar

Validando credenciais, por favor aguarde ...
  • Cursos: 21 99973-1534

  • Suporte: 21 4146-4336 | WhatsApp

Home

Tipos de laser na Ginecologia

Tipos de laser na Ginecologia

Tipos de laser na Ginecologia

Você sabe o quanto um tratamento a laser pode ser útil na área íntima? Seja para o rejuvenescimento, melhora na elasticidade, ou tratamento na atrofia e flacidez vulvo-vaginal, o laser tem se mostrado bastante eficaz e compõe o quadro das novas tecnologias no ramo da ginecologia que tem atraído milhares de mulheres para os consultórios.
Quer conhecer alguns deles e descobrir os seus benefícios? Leia esse artigo até o final e veja se você se identifica com alguma das necessidades a seguir!

Laser para tratamento da flacidez e atrofia vulvo-vaginal 

“A atrofia vulvo-vaginal (VVA) é uma condição progressiva e crônica que se manifesta como involução as mucosas vulvo-vaginais e tecidos devida à diminuição dos níveis de estrogênio.” Diz a acadêmica Sonia Regina Jurado, da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. 

A condição geralmente é tratada com a utilização de hormônios para repor as quantidades perdidas (comumente por conta da menopausa), mas os procedimentos a laser têm se mostrado bastante promissores como tratamento alternativo à ministração de hormônios.

Laser para alterações vaginais após a menopausa

Após os 40 anos, o corpo feminino começa a sentir os efeitos da diminuição dos hormônios, especialmente o estrogênio. Como resultado disso, a mulher pode sentir o tecido vaginal mais fino, seco e menos elástico, causando inclusive dores durante a relação sexual e refletindo no nível de libido.

Outros sintomas diretos da menopausa podem incluir desconforto na hora de urinar, corrimento e falta de lubrificação.

Para esse caso específico, além do uso do creme tópico (nem sempre elegíveis para todas as mulheres, especialmente as que têm histórico de câncer de mama ou trombose) 

É aí que entra o laser vaginal. Ele atua na vascularização da mucosa e reestruturação do colágeno, uma fibra proteica essencial para manter a células unidas e firmes. Além disso, pode-se notar uma melhora direta da lubrificação da vagina e redução dos sintomas como ardor, corrimento e odor desagradável.

Tudo isso é possível porque o tratamento a laser ajuda a reestabelecer a flora local, que está diretamente ligada a esses problemas.

Como funciona o tratamento com laser vaginal?

O tratamento é mais simples do que você pode estar se perguntando. Primeiro, acontece a introdução de uma sonda vaginal (bem parecida com aquelas utilizadas em exames transvaginais convencionais) e pode ocorrer, em média, em três sessões de 20 minutos cada, uma vez por mês.

O desconforto no processo acontece devido a um calor local, que muitas pacientes sentem, devido a emissão dos pulsos do laser. Para esse efeito, é recomendado o uso de anestésicos ou películas protetoras, diminuindo o desconforto em 90%.

A principal diferença entre os benefícios do laser em comparação ao uso contínuo de estrogênio tópico ou sistêmico é que o efeito do laser se mostrou mais duradouro, podendo chegar até a seis meses após a última sessão.

Os pontos negativos do procedimento, para as mulheres, é que ele ainda não tem cobertura pelo SUS e se mostra um tratamento relativamente caro, em torno de, no mínimo, mil reais cada aplicação. Mas acaba sendo um ponto positivo para os médicos que podem qualificar seu público, agregando mais valor e diferencial. 

Um método efetivo que previne de maneira natural as disfunções é a prática regular de relações sexuais, pois aumenta o fluxo sanguíneo na região vaginal, ajudando a manter os tecidos vaginais mais saudáveis.

Fiquem atentos (as) às novas tecnologias que podem ser disponibilizadas para a mulher moderna, ávida por ter mais poder com seu corpo. Essa mulher está procurando as novas tecnologias nos consultórios ginecológicos e dermatológicos. Tenha em mãos a solução para ela!